Leia Essa Reflexão Que Vai Te Ensinar a Ignorar a Opinião Dos Outros

Leia Essa Reflexão Que Vai Te Ensinar a Ignorar a Opinião Dos Outros

O novo naipe do imperador – A história sobre o poder das maiorias

O novo naipe do imperador é um conto clássico de Hans Christian Andersen. Ele fala sobre como a opinião dos outros molda e determina a opinião de alguém.

O novo naipe do imperador é uma história que passou de geração em geração sem perder um pouco do seu charme. É uma história sobre o poder da maioria, que é aplicável a uma infinidade de situações.

A história diz que este era um imperador que amava vestidos. Ele tinha seus guarda-roupas cheios de roupas bonitas, mas ele sempre quis um melhor. 

Ele só queria se vestir com a maior elegância e nada importava mais. Às vezes, até mesmo ele negligenciava os assuntos do império, apenas para desfrutar de suas roupas.

Todo o reino sabia sobre a fraqueza do imperador por roupas e então inventaram uma farsaEles começaram a espalhar a história que eles eram capazes de fazer tecidos extraordinários, com propriedades únicas.

Os rumores se espalharam e se espalharam para os ouvidos do imperador, que imediatamente ordenou que fossem chamados à sua presença. Eu queria saber o que estava sendo oferecido. 

Os homens disseram que o tecido que eles faziam era tão macio e maravilhoso que o corpo mal o sentia.

Eles acrescentaram que o tecido tinha uma qualidade única: não podia ser visto pelos burros ou por aqueles que eram incompetentes para suas posições. O imperador ficou fascinado. Parecia fabuloso para ele.
Segundo esta história sobre o poder das maiorias, sem pensar duas vezes, o imperador ordenou que fizessem a ele um vestido com o pano mágico

Os homens pediram um adiantamento. Eles fingiam trabalhar dia e noite, gerando grandes expectativas.

O novo naipe do imperador

Morreu de curiosidade, o imperador enviou seu primeiro ministro para lhe trazer notícias de sua comissão esperada. Quando o oficial chegou ao tear, os golpistas perguntaram se ele achava que a nova roupa do imperador era linda. O homem ficou surpreso. Eu não sabia o que dizer.

Ele pensou que se dissesse que não tinha visto nada, eles o achariam um tolo. Ou pior, eles diriam que ele era inadequado para a sua posição. Então ele decidiu continuar o jogo e dizer que o traje era lindo. Então ele disse ao imperador depois, que estava satisfeito com a diligência.

Os trapaceiros então pediram mais dinheiro, para aumentar a beleza do vestido. O imperador deu a eles sem dizer uma palavra. No entanto, o tempo passou e a roupa não estava pronta. Então ele decidiu enviar um novo oficial para verificar o progresso. Novamente o oficial não viu nada, mas no seu retorno ele disse: “É a roupa mais bonita que já vi“.

Uma história sobre o poder das maiorias

O imperador nomeou os dois patifes como tecelões imperiais. Então ele anunciou que logo eles celebrariam uma grande festa, então ele precisava que eles terminassem sua nova roupa, para estrear naquele dia. Conta a história que os homens aceitaram de bom grado.

O dia da grande festa finalmente chegou e os golpistas chegaram com o terno para o quarto real. Fazendo a imitação correspondente, eles disseram: “Aqui estão as calças”. Então “aqui está a jaqueta” e assim por diante. O imperador, claro, não viu nada, mas ele, como os outros, não se permitiria ser chamado de tolo ou incompetente.

Todos os cortesãos elogiaram o belo terno do imperador. Eles comentaram como era bom. Também na grande qualidade do tecido e na perfeição dos acabamentos. 

De acordo com a história, o imperador ficou satisfeito em ver a reação dos outros. Tanto que ele queria sair para uma caminhada para que seus súditos o admirassem

Ele começou a andar pelas ruas e as pessoas, que sabiam sobre o assunto, continuavam elogiando seu traje. De repente, uma criança levantou a voz na multidão. “Mas ele está nu!” Outras crianças ao seu lado repetiam a mesma coisa. Os outros, incluindo o imperador, agiam como se não tivessem ouvido.

Deixe uma resposta