Lei do espelho: O que você vê nos outros é o seu reflexo

Lei do espelho: O que você vê nos outros é o seu reflexo

Quando construímos cada passo de nosso crescimento pessoal, nos concentramos excessivamente em nosso interior, quando uma grande parte do que podemos aprender está fora ou em nosso ambiente confiável.

Infinitas lendas nos ensinaram desde a antiguidade que o que vemos nos outros revela informações sagradas do que somos nós mesmos.

Muitos foram os estudos sobre psicologia pessoal que afirmam que o exterior age como um espelho para nossa mente. Um espelho onde vemos reflete diferentes qualidades, características e aspectos pessoais da nossa própria essência, do nosso ser mais primitivo

Falamos sobre as situações que frequentemente ocorrem no nosso dia a dia quando observamos algo de que não gostamos nos outros e sentimos uma certa rejeição, até nojo. 

Bem, estamos perante a lei do espelho, que afirma que, de algum modo, esse aspecto de que não gostamos de determinada pessoa existe dentro de nós. 

Por que essa experiência acontece? Hoje vamos compartilhar seu papel e a origem desta lei.

A lei do espelho:

A lei do espelho afirma que nossa inconsciência, auxiliada pela projeção psicológica que fazemos durante esse momento, nos faz pensar que o defeito ou o desagrado que percebemos nos outros só existe “lá fora”, não em nós mesmos. 

A projeção psicológica é um mecanismo de defesa pelo qual atribuímos a outros sentimentos, pensamentos, crenças ou até mesmo ações próprias inaceitáveis para nós.

A projeção psicológica começa durante experiências que envolvem um conflito emocional ou se sentem ameaçadas, tanto interna como externamente. 

Quando nossa mente entende que existe uma ameaça à nossa integridade física e emocional, ela emite como rejeição para o exterior todas essas qualidades, as atribuindo a um objeto ou sujeito externo a nós mesmos. Então, aparentemente, colocamos essas ameaças fora de nós. 

Projeções acontecem com experiências negativas e positivas. Nossa realidade é transferida sem filtro para o mundo exterior, construindo a verdade externa com nossas próprias características pessoais. 

Uma experiência característica de projeção psicológica acontece quando nos apaixonamos e atribuímos ao amado certas características que só existem em nós.

Projetamos nossa própria realidade no meio ambiente

A lei do espelho é refletida quando afirmamos “conhecer” muito bem as outras pessoas e, na realidade, o que fazemos é projetar nossa própria realidade nelas. 

Quando essa situação ocorre, estamos sobrepondo nossa visão projetada de nós mesmos na imagem física daquela pessoa capturada por nossos sentidos. 
Estar ciente do que projetamos nos outros nos permite descobrir como realmente somos. 

Permitir que tenhamos uma prova desse mecanismo mental nos ajuda a recuperar o controle sobre o que está acontecendo dentro de nós, para que possamos nos encarregar e trabalhar naqueles aspectos de nós mesmos que não queremos manter ou queremos transformar em aspectos positivos.

É essencial lembrar que tudo o que vem através de nossos sentidos nós damos como verdade, sem muitas vezes reconhecer a parte da interpretação ou subjetividade que está nele.

Vivemos de acordo com esse modo de perceber a realidade, criando distorções negativas ou que geram desconforto quando se trata de relacionar-se com pessoas em nosso meio, inclusive nós mesmos.

Se quisermos usar esse recurso natural – projetando – de maneira saudável e completa para obter um crescimento interior saudável, a meditação nos ajudará a traçar essa fronteira, facilitando a aprendizagem de ver as coisas como elas realmente são. 

Lembrando sempre a premissa de que “observar diz mais sobre o observador do que sobre o que é observado”.

Deixe uma resposta