Reflexão: Aceitar as pessoas como são, não nos obriga a ficar perto delas!

Reflexão: Aceitar as pessoas como são, não nos obriga a ficar perto delas!

Viver em sociedade nos condiciona a cada dia mais buscarmos a aceitar as diferenças, contudo, devemos sempre nos recordar que não precisamos nos obrigar a estar perto das pessoas que nos fazem sentir, minimamente mal.

Não necessariamente precisamos ser bruscos ou desrespeitosos ao nos afastarmos de alguém, ao contrário, devemos buscar sermos tolerantes, pois as diferenças sempre irão existir, e o que fará de nos arrogantes e estúpidos, será nossa capacidade de compreender o ponto de vista do outro.

Para podermos compreender o próximo, precisamos ser tolerantes. Atualmente, simplesmente por discordamos um do outro, muitas vezes há embates não só de opiniões, mas de ameaças e até mesmo embates físicos, por simplesmente não sabermos tolerar algo sobre o qual divergimos.

Ao ligarmos a televisão ou mesmo acessarmos as notícias pela internet, somos inundados por reportagens que mostram como um motorista espancou outro por causa de uma pequena discussão, torcedores de um time que agrediram os do time oposto, por simples e pura rivalidade, e há uma infinidade de casos assim.

Tudo isso se deve ao fato de não sermos tolerantes abre as portas para todo tipo de comportamento, pensamento e conceitos negativos. A raiva, a exclusão, preconceito, racismo, tudo que pode ferir e afastar, são ocasionados pela simples falta de empatia e da mínima tolerância.

A base para convivermos de forma saudável na sociedade, é entendermos que todos somos diferentes e com isso possuímos diferentes necessidades e forma de pensar.

Cada um de nós carrega em si marcas de uma vivência única e peculiar, e que não serão compreendidas pelo outro de forma completa, mas, que vão nos ajudar a agregar em sermos o que somos, e por isso, não devemos ser julgados, e sim, tolerados.

A diferença deve ser tolerada, pois, fora dessa esfera traz conflitos que jamais nos farão chegar a lugar nenhum. É necessário entender que cada um tem seu momento de fala, que nenhuma verdade é absoluta e que cada forma de pensar convém a cada um de nós em seu íntimo, embora você possa não concordar ou achar correto o que foi exposto.

Tudo isso não quer dizer que não podemos nos posicionar ou discordar do próximo, pelo contrário, devemos ter pensamentos críticos, mas, sabendo respeitar os limites, sem ofender ou impor a nossa verdade sobre a questão, pois a partir do momento, em que queremos fazer o próximo engolir nosso ponto de vista, isso deixa de ser uma discordância e vira apenas uma puríssima arrogância.

Desde que o próximo não nos ofenda com seu modo de pensar ou agir, nos penalize, machuque ou maltrate, devemos ter em mente que cada um tem sua individualidade.

Contudo, se mesmo com respeito, você não deseja ficar próximo de alguém que não aja da forma que você considere correto, você tem todo direito de se afastar e escolher de fato as pessoas que você quer carregar ao seu lado, em suas conquistas e sua vida. E essas escolhas podem ser em qualquer ramificação de sua vida, desde o trabalho até à sua família e amigos.

Fazendo essa seleção de forma natural e respeitosa, acabamos por nos desencontrar daqueles que nos desagradam e não nos acrescentam em nada, de forma que não os fira e nem gere qualquer tipo de desentendimento, tudo de forma muito natural, como uma rede de compatibilidade.

Devemos ter em mente que em qualquer ambiente em que estivermos incluídos, existirão pessoas que não se encaixarão em nosso círculo e que fugirão aos nossos aspectos principais. Mas, devemos acima de tudo respeitá-los e tolerá-los.

Contudo, não deixe que a convivência em um futuro, seja no trabalho ou vida privada vire um problema, se dê limites, e busque os limites saudáveis para coexistência com aqueles que não se encaixam em seu modo de agir e pensar, suporte o necessário e adequado, afinal, passando deste ponto, passa a não ser algo sadio, e sim, um processo de masoquismo sem fim.

A tolerância é uma virtude, e você pode sim chegar a ela, mas, não se deixe confundir em ser tolerante com ser submisso. Busque sempre sua autenticidade e conforto, respeitando aos outros e principalmente a si mesmo. A vida em equilíbrio é sempre mais bem vivida e aproveitada. Desfrute de suas escolhas e viva feliz.

Deixe uma resposta