REFLEXÃO: Já sentiu raiva de si mesmo por ter um coração tão bom com quem não merece?

REFLEXÃO: Já sentiu raiva de si mesmo por ter um coração tão bom com quem não merece?

A vida é uma trajetória de aprendizados, e as experiencias positivas e negativas acabam se intercalando para formar a nossa identidade. Cada pequeno momento contribui para que possamos construir nossa personalidade, e agem diretamente em transformar nossas vidas no presente e ter consequências no futuro.

Contudo, umas das maiores dificuldades é encontrar paz e equilíbrio. Por sermos muito ansiosos, inseguros, impacientes e até mesmo apressados, deixamos que coisas que poderiam passar despercebidas, acabem deixando nosso coração inquieto.

Ao colocarmos muito expectativa no próximo, acabamos por colocar o dobro em nós mesmos, e com isso, quando nos decepcionamos, tudo recai com muito mais forca sobre nós. Por isso, devemos aprender a nos preservar e a proteger a nossa vulnerabilidade, ou seja, a nos amar acima de tudo e todos.

Não são poucas as vezes em que sentimos raiva de nós mesmos por termos sido tão bons para os outros, e em troca apenas recebermos desafetos, más energias e descaso. Tampouco não são também as vezes, que doamos tudo de nossos sentimentos, quando não sabemos que no fim, estávamos em uma relação unilateral, onde o outro jamais pensou no plural, e somente se importou consigo mesmo.

O que devemos tirar de aprendizado dessas situações, é que não devemos de ser nos mesmos, perder nossa essência, doçura e delicadeza. Apenas devemos ser mais seletivos com aqueles com os quais nos importamos. Devemos dar muito valor ao que temos, e somente compartilhar isto com os que de fato merecem. Endurecer nosso coração, trará mais dor a nós mesmos, do que de fato ser um remédio contra os outros.

Com a vivência, aprendemos que nossas expectativas podem gerar grandes danos a nós mesmos, justamente por esperar ações ou retribuições de pessoas que nada se importam conosco. Por esse motivo, devemos deixar de romantizar as situações com aqueles que gostamos, e focar no que de fato é real, e de fato há intuito e sentimento.

Comece a fazer aquilo que realmente te faz bem. Planeje suas ações sem esperar alguma retribuição ou reciprocidade, faça aquilo que possa deixar seu coração leve, que leve de si uma dedicação gratuita, simples e puramente porque você quis. Isso só não lhe trará paz, como também lhe ajudara a ser uma pessoa melhor. E assim, o bem irá atrair o bem, e as pessoas de boas energias e pensamentos positivos.

Coloque em sua mente, que antes de procurar o amor no outro, precisa se amar em primeiro lugar, e gostar do ser que você é ou está se transformando. Se recorde que para ser amado, você não precisa provar que é de alguma utilidade, e que aquele que lhe escolher, seja para qualquer tipo de relacionamento, apenas o fará por gostar de quem você é de verdade.

Pensar assim, deve ser suficiente para que se possa estar em paz e relaxado, afinal, quando deixamos de ser tão exigentes conosco e com os outros, passamos a nos deixar mais livres para os sentimentos mais genuínos, sem almejar a perfeição ou o extravagante.

Abandone aqueles que te maltratam ou simplesmente não se importam com a sua presença, dê valor a si mesmo e respeite seus limites. Dessa forma, conseguira viver uma vida mais tranquila e certamente será mais feliz.

Deixe uma resposta