Segredos Da Linguagem Corporal: Depois De Ler Isso Você Nunca Mais Cruzará Os Braços

Segredos Da Linguagem Corporal: Depois De Ler Isso Você Nunca Mais Cruzará Os Braços

Dentre todas as formas de comunicações que existem, há uma que desde os primórdios é essencial e substancial para o entendimento em nossas relações humanas.

A linguagem corporal e expressões faciais são naturais do ser humano e uma das formas de comunicação mais antigas, são expressões de forma geral que vem programadas em nosso cérebro desde que somos apenas bebês no ventre, tendo ou não visão.

Esses tipos de linguagem nos ajudam a atingir nossos objetivos, seja de forma direta ou indireta. São elas que podem definir o que os outros podem achar de nós, e consequentemente definir o que somos perante os olhos dos outros.

Tendo em vista a importância desse tipo de comunicação, a linguagem corporal vem sendo altamente estudada por diversas universidades, entre elas as prestigiadas Harvard e Princeton. Nesse artigo vamos te mostrar como suas ações corporais podem influenciar diretamente no que as pessoas julgam de você.

Seu rosto não expressa completamente suas emoções

Embora ao longo da historia possamos ter crescido aprendendo a interpretar as intenções do outro através da expressões faciais, muito recentemente a Universidade de Princeton através de uma experiencia, provou que o corpo, com ou não influencia da expressão do rosto, demonstra muito mais sobre como o indivíduo se manifesta do que se imaginava.

O experimento da universidade consistia em mostrar fotografias para voluntários interpretarem. Nas fotos, havia a imagem de dois jogadores de vôlei, um ganhador e outro perder, assim como a reação de seus corpos e rostos. Alguns participantes receberam imagens de corpos e rostos, outros apenas imagens de rostos, assim como outro grupo apenas dos corpos.

O resultado foi que grande parte dos participantes conseguiu deduzir quem havia ganhado e perdido em sua maioria pela expressão do corpo. Isso se dá, pois quando nos expressamos de formas intensas, nosso rosto tem praticamente a mesma expressão, enquanto nosso corpo, age de forma diferenciada de acordo com a situação.

Enquanto isso, a Universidade British Columbia provou através de fotos de atletas, que diante uma vitória, tanto um atleta cego, quando um atleta que enxerga normalmente, possuíam as mesmas expressões faciais e corporais na mesma situação. O estudo comprova a teoria de que nossas expressões são programadas desde o nascimento, o que explica os cegos terem a mesma reação que os que enxergam.

O que nos traz ao ponto principal. Se a nossa linguagem é tão poderosa assim, como podemos utilizá-la ao nosso favor? A psicóloga e ex-professora de Harvard, Amy Cuddy, explica de forma bem sucinta, como melhorarmos nossa postura e assim nossas oportunidades.

A visão de Amy Cuddy sobre a linguagem corporal

Amy Cuddy é uma psicóloga bastante conhecida após seus estudos realizados com base no poder que a linguagem corporal tem. Formada pela Universidade do Colorado, Amy atuou como professora da Harvard Business School, e atualmente contribui para as pesquisas desta e de outras instituições.

Segundo Amy, existe duas distinções de posturas corporais, e ela as classifica como “poses poderosas” e “poses sem poder”. As poses poderosas possuem mais abertura, cabeças erguidas e olhos atenciosas, há relaxamento e segurança, como de fato, a pessoa fosse quem mandasse na situação. As poses não poderosas, mostram pessoas com braços cruzados, pernas entrelaçadas, corpo curvado para frente, cabeça baixa e olhar perdido.

A pesquisa de Cuddy ainda revelou que as pessoas que possuem poses poderosas ajudam as pessoas a conseguir melhores empregos, assim como se sentirem melhores, mais seguros e como consequência, mais bem-sucedidos.

Como se não bastasse, Cuddy explica que dentro de nosso corpo há diversos processos acontecendo, principalmente envolvendo nossos hormônios, e tudo isso com uma simples mudança de linguagem corporal, como um cruzar de braços.

Os dois hormônios principais responsáveis pelas mudanças, são a testosterona e o cortisol. Enquanto a testosterona ativa nosso foco, atenção, liderança e nos dá mais poder, o cortisol por sua vez nos deixa mais oprimidos, impotentes e resistentes ao estresse.

O experimento de Cuddy mostrou que as pessoas que foram para entrevistas de emprego e aplicaram as poses poderosas durante o processo de recrutamento, não só conseguiram impressionar e conseguir a vaga, como também elevar seus níveis de testosterona.

Da mesma forma que proporcionalmente, as pessoas que aplicaram as poses sem poder, não tiveram tanto sucesso no recrutamento, e ao invés de aumentarem sua testosterona, tiveram o aumento do cortisol.

Essa pesquisa comprova que, quando mudamos nossa postura, não conseguimos apenas mudar nossas oportunidades, mas sim, o que somos. Com isso, Cuddy afirma que podemos não só fingir para chegar ao nosso propósito, mas, fingir até sermos de fato o nosso propósito.

Separamos então 5 tópicos que podem te auxiliar em seu trabalho ou vida pessoal a mostrar e te transformar em uma pessoa de presença poderosa e deixar no passado aquela pose desleixada e os temíveis braços cruzados. Confira:

1. Pratique algumas das “poses poderosas” de Amy Cuddy antes de momentos importantes

Não é difícil encontra pela internet diversas fotos e ilustrações de como essas poses se parecem, e não será difícil reproduzi-las. A dica é ir para um local calmo e observar se as poses te farão ficar relaxado e mais confiante, assim como te deixar disposto para aplicá-las durante o momento seguinte. Escolha inicialmente 3, e foque para ter um bom resultado.

2. Sorria

Muitas pesquisas apontam que ao sorrirmos, mesmo não estando em um momento de excitação e alegria, nosso cérebro compreende o que as demais partes do nosso corpo estão tentando reforçar, ou seja, ao sorrir, você pode sim se deixar mais relaxado e parecer bem mais atrativo aos olhos de quem te vê.

Em um primeiro momento, tente realizar essas mudanças em locais calmos e a sós, aos poucos introduzindo essas ações no seu dia a dia. Você poderá notar a diferença, pelo simples olhar de volta das outras pessoas ao seu redor.

3. Observe sempre os seus pés e de seus companheiros

A Doutora e pesquisadora Carol Kinsey Goman afirma que o posicionamento dos pés diz muito mais sobre um individuo do que se pode pensar.

Segundo Goman, existem dois tipos de posicionamentos. Se você encontra um colega e seus pés continuarem no mesmo lugar, porém girarem os torsos superiores em sua direção, pode demonstrar que a pessoa não deseja que você participe da situação. Da mesma forma que, se encontra um colega e ele tiver os pés aberto em sua direção, ele pode estar querendo lhe incluir e ser convidativo.

Da mesma forma que pode ser convidativo ou não, os pés podem demonstrar quando uma conversa ou situação pode chegar ao seu fim. Se os pés da pessoa estiverem voltados para porta, assim como suas pernas, isso significa que esse é o fim. Tente experimentar essa teoria e veja os resultados.

4. Procure ter um tom de voz mais baixo

Tecnicamente essa não é uma dica de linguagem corporal, mas, muitas pessoas afirmam que possuir um tom de voz mais baixo e profundo, demonstram não só melhor controle, como podem sinalizar fortes candidatos a serem superiores nos locais de trabalho.

Nesse caso, antes daquela entrevista para subir de cargo, ou até mesmo antes da importante apresentação, procure respirar profundamente, pois isso auxiliara a sua garganta relaxar e você chegar ao tom de voz desejado.

5. Procure estar em posição física semelhante aos seus companheiros

Outra afirmação da Doutora Goman, é que a posição que você fica diante a pessoa que está se relacionando em um determinado momento, pode te ajudar ou prejudicar. Goman fala que para que você possua um melhor engajamento, é interessante se colocar em posição equivalente ao seu companheiro, ou seja, se ele estiver em pé de frente para você, fique também de pé, se ele está relaxado na cadeira, também se sente relaxadamente e assim por diante.

Essa relação de equivalência torna as pessoas mais interessadas em escutar umas as outras, e diminui a possibilidade dos pensamentos de superioridade de umas para as outras.

Agora que você conhece um pouco como funciona as expressões do seu corpo, e como pode aplicá-las melhor na sua rotina e para seu bem-estar, faça um bom uso e trilhe mais confiantemente o seu caminho. Lembre que uma boa postura pode lhe abrir diversas oportunidades para um grande sucesso. Boa sorte!

Este post tem 3 comentários

Deixe uma resposta